Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
  • Miguel Bragioni Lima Coelho - PP
  • Vereadores
    LEGISLATURA 2017 - 2020
    Presidente Atual
    Miguel Bragioni Lima Coelho
Data: 20/05/2015 Hora: 00:00:00
História do Município
Webline Sistemas

http://www.portoferreiracamara.com.br/images/artigos/portoferreira/mapa%20porto%20ferreira.gif

História

A origem de Porto Ferreira aponta para o idos anos de 1860. Nas margens do rio Mogi Guaçú, inicialmente pelas proximidades do Ribeirão dos Patos e, em seguida, transferida para próximo da foz do Rio Corrente, exerceu atividade, a Balsa que efetuava a travessia de passageiros e mercadorias. O responsável por este porto fluvial, foi o Balseiro João Inácio Ferreira, o qual, emprestou seu nome à cidade que futuramente se formou: PORTO FERREIRA. No dia 6 de Julho de 1877, faleceu, aos 62 anos de idade, o Balseiro João Inácio Ferreira.

Indígenas

Todo o Vale do Mogi foi habitado pelos índios "Painguás" ou "Paiaguás", da grande família Tupi-Guarani, que tinham algumas aldeias em terras onde veio a se constituir o município de Porto Ferreira.

 Vicente José de Araújo

Em 1870, o mineiro Vicente José de Araújo, acompanhado da família, comprou terras nas margens do córrego do Amaros, instalando uma serraria movida pela força daquelas águas, razão pela qual, o córrego, mais tarde, passou a ser denominado Serra D'Àgua.

 Outros fatores de povoamento

A origem de Porto Ferreira, encontra assim, duas teorias básicas divididas entre seus historiadores: a que aponta um nascimento espontâneo pela ação de fatores que acabaram gerando a necessidade de criar um lugarejo neste local, dentre os quais, a atividade do próprio Balseiro João Ferreira; e a outra corrente, que outorga a Vicente José de Araújo, o mérito pelo surgimento da cidade. Em qualquer uma delas, é certo que a Balsa foi a semente de Porto Ferreira, cidade que germinou, no entanto, com a chegada da estrada de ferro, oficialmente inaugurada em 15 de Janeiro de 1880, pela Companhia Paulista de Vias Férreas e Fluviais, com o firme propósito de atravessar o Mogi Guaçu e atingir a rica e florescente região de Ribeirão Preto, onde abocanharia rendoso frete pelo transporte de sua produção cafeeira. Este propósito, no entanto, por força de circunstâncias da época, a Companhia Paulista resolveu atingir através da atividade da navegação fluvial no Mogi Guaçu, até sua confluência com o Rio Pardo, o que fez de Porto Ferreira, um importante entreposto hidro-ferroviário, grande responsável pelo povoamento e consequente florescimento da cidade.

 

Freguesia

Criada pela Lei Provincial nº 3, de 9 de Fevereiro de 1888, subordinada a Descalvado.

 Distrito de Paz

Com a denominação genérica de Distrito de Paz, Porto Ferreira foi desanexado de Descalvado e passou a pertencer ao município de Pirassununga, pela Lei Estadual nº 110, de 1 de Outubro de 1892.

 Divisas

As primeiras divisas de Porto Ferreira foram estabelecidas pelo Decreto n.º 183, de 29 de Maio de 1891.

 Município

Porto Ferreira conseguiu sua emancipação político-administrativa pela Lei Estadual n.º 424, de 29 de Julho de 1896, sendo o novo município, solenemente instalado no dia 25 de Dezembro do mesmo ano.

 Comarca

Criada pela Lei n.º 5285, de 29 de Dezembro de 1958, foi instalada a Comarca no dia 19 de Outubro de 1963.

 Aspectos físicos e geográficos

O município de Porto Ferreira, estado de São Paulo, Brasil, possui área de 244 km², e está situado em posição nordeste em relação a capital do Estado, na zona fisiográfica de Piracicaba.

 Altitude

Ponto mais alto do município é o Morro Alto, com 798 metros. O ponto mais baixo é a Ilha dos Patos, com 545 metros. Na Estação Ferroviária a altitude é de 549.7 metros acima do nível do mar.

 Clima

Temperatura média anual: 21° C

Precipitação total anual: de 1300 a 1500 milímetros

Vento Predominante: Sudeste

 Topografia

O Município é plano, com pequenas ondulações, ligeiramente inclinado para as bacias do Moji Guaçu e seus afluentes. Ao norte, montanhoso.

 

 Vias de Comunicação

Via Anhanguera (SP 230), SP 215 e FEPASA, atualmente desativada, com alguns trechos com os trilhos retirados. A cidade dista 227 km da Capital, pela estrada de rodagem e 261 km pela extinta ferrovia.

 

Solo

São encontrados quatro tipos de solo, assim distribuídos pela área do município: Latossol Vermelho Amarelo (62 km²), Latossol Roxo (74 km²), Hidromórfico (27 km²) e Latossol Vermelho Escuro (77 km²).

 Limites territoriais

ao Norte: Santa Rita do Passa Quatro

ao Sul: Pirassununga

a Leste: Santa Cruz das Palmeiras

a Oeste: Descalvado 


Brasão de Porto Ferreira

Descrição Heráldica

O Brasão de Porto Ferreira, instituído pelo Decreto nº 388, de 22 de Julho de 1961, foi criado pelo prof. Antonio Paim Vieira, que assim o descreveu, heraldicamente:

" Escudo português tripartido. Em chefe: em campo de blau, duas flechas de ouro, em aspas, carregadas de um gládio de prata. Uma faixa ondulada, de prata com dois peixes do mesmo metal, de dextra para senestra. Em ponta: em campo de goles, uma ancora de ouro, tendo à dextra um malho do mesmo metal e à senestra uma flor de liz de prata. O paquife é constituído de ramos de café frutado, ramos de algodão, com flores e capulhos e espigas de cereal, tudo de suas cores. Unindo os ramos, uma roda denteada de ouro carregado do listel com a inscrição latina: "Nomen Prodit Virtutem Gentis". Encima do brasão uma coroa mural de ouro, de quatro torres, com três meias e sua porta cada uma".

Descrição Popular

É do mesmo autor a descrição popular:

"Ao alto, sobre a cor azul, duas flechas de ouro cruzam-se em "X", tendo, sobre o vértice, um gládio de prata. As flechas simbolizam São Sebastião, padroeiro celeste do lugar (daí a cor azul). O gládio de prata exprime a dignidade militar de São Sebastião, e também, lembra o brasão do estado de São Paulo, a que o município pertence. A faixa de prata, com ondulações e dois peixes, é a imagem parlante do ri Moji Guaçu, que banha a Cidade, com sua abundancia de pescado. Na base do escudo, sobre fundo vermelho, que simboliza a terra, uma ancora dourada exprime a idéia de "porto". Aos seus lados estão: um malho dourado, que recorda o apelido de "Ferreira", e uma flor de liz de prata, que recorda o apelido "Araújo", homenageando, assim, os dois mais antigos moradores do lugar, pioneiros do seu desenvolvimento. Os lados do brasão são ornamentados com ramos de café frutificados, ramos de algodão com flores e capulhos e espigas de arroz, exprimindo sua produção agrícola. O listel azul passa por sobre uma roda denteada, de ouro, que une os ramos, a qual significa o progresso industrial do lugar. No listel lê-se a inscrição latina: "Nomen prodit virtutem gentis", cuja tradução é: o nome (Ferreira) ostenta a virtude (ou têmpera) de sua gente (filhos). O escudo é encimado pela coroa mural dourada, como é de praxe em todos os brasões das cidades".

 Hino à Porto Ferreira

O Hino oficial de Porto Ferreira surgiu da iniciativa do Prefeito Joaquim Coelho Filho, que no dia 25 de fevereiro de 1962, em entrevista ao Jornal "P Ferreirense", manifestou o desejo de promover um concurso, ao qual poderiam concorrer todos os interessados, desde que residentes em Porto Ferreira. Feita a regulamentação, o concurso deu-se no dia 29 de setembro de 1962, na sede da Corporação Musical Santa Cecília. Com a música do maestro Prof. Rubens Parada e letra do Prof. José Eugênio Colli, o Hino a Porto Ferreira tornou-se oficial pela lei n° 446 de 28 de novembro de 1962. 


Demografia

Dados do Censo – 2006

População Total: 54.048

Urbana: 45.568

Rural: 1.869

Homens: 23.640

Mulheres: 23.797

Densidade demográfica (hab./km²): 194,25

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,76

Expectativa de vida (anos): 71,82

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,95

Taxa de Alfabetização: 92,34%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,802

IDH-M Renda: 0,745

IDH-M Longevidade: 0,780

IDH-M Educação: 0,880

(Fonte: IPEADATA)

 

Outros dados

Renda Per capita: R$665,56 (estimativa de 2001)

Taxa de Urbanização: 96,61 %

Taxa de Crescimento Anual da População: 1,86 %

Quantidade de Leitos Hospital do SUS: 36 (coeficiente por mil habitantes – 0,73)

População que tem acesso a:

Abastecimento de Água: 97,5%

Esgoto: 94,6%

Coleta de Lixo: 100%

Fonte: IBGE.

 

Hidrografia

Rio Mogi-Guaçu

Rio Bonito

Rio Santa Rosa

Córrego Amaros

Córrego dos Patos

Córrego Corrente

 

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro





Próxima Sessão

Segunta-feira, 25 de setembro de 2017 - Sessão Ordinária
20:00 horas
Plenário Syrio Ignátios